sexta-feira, 30 de abril de 2010

Sempre a correr...

É assim que ando desde ontem...

Trabalho, compromissos, acção de formação, comprar umas coisas, preparar aulas, fazer um almoço super rápido, ir fazer um exame daqui a pouquinho (desejem-me sorte), dar aulas... ai que já não paro mais...

Ainda bem que amanhã é feriado e não vou trabalhar... vou ter um fim-de-semana de gente (não tenho muitos durante o ano).

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Ansiedade maluca...

Agora que finalmente tinha todas as razões do mundo para andar calma e relaxada, sem stress nem nervosismo, já começam logo a acontecer coisas só para mexer comigo!

Mas porque é que não dizem logo qual é o assunto quando querem falar connosco e não estamos? Deve ser mesmo para nos deixar com a pulguinha atrás da orelha... ainda mais eu que tenho uma imaginação super fértil (pelo menos para o que não presta).

Ai se eu pudesse enfiava toda esta ansiedade num saco e guardava-a no fundo do ármario...

terça-feira, 27 de abril de 2010

Já chega!

Será que temos que viver constantemente com dúvidas e incertezas? Se não é de uma coisa é de outra... ai ai esta cabecinha!

Depois de finalmente a D. Menstruação ter vindo surgiu a próxima dúvida... desmarcar ou não a consulta que eu tinha marcado por causa do atraso? O atraso aparentemente estava resolvido... mas lá começa a cabecinha a trabalhar de mais... e se eu tiver com algum problema?... e se for alguma coisa hormonal?... e se o problema for no útero?...e se... e se... aaaaaiiiiiiii.... chega!

Não quero mais pensar em problemas... deve ter sido por isso mesmo que tive este atraso todo. Não consigo encontrar outra explicação, até porque há pouco mais de um mês fiz uma eco e estava tudo em perfeitas condições. Seria azar a mais poucos dias depois de fazer a eco aparecer alguma coisa gravíssima que originasse este atraso todo!

Então está decidido... nada de pensar em problemas e doenças (até porque fui hoje de manhã desmarcar a consulta). Estou a 100%, sou normal e tive apenas um atraso, tal como acontece com tantas outras mulheres. E daqui para a frente há que ter um pensamento super positivo, andar calma, sem ansiedades e sem stress... e logo se vê o que acontece...

domingo, 25 de abril de 2010

Meus dotes culinários

Algumas pessoas (principalmente a minha mãe - será para dar graxa?) dizem que cozinho bem, principalmente doces e sobremesas.

Devo admitir que gosto muito de fazer doces e claro, comê-los depois (sim, sim, sou uma gulosa). Mas chateia-me fazer aquelas receitas em que se tem que estar montes de tempo a mexer a mesma coisa, para engrossar ou ficar mais consistente. Então nada melhor que o bolinho de chocolate que fiz ontem para o lanche. Super simples e, acima de tudo, rápido para fazer. Demora mais tempo a fazer a calda (justamente por termos que mexer imenso tempo) do que a preparação do bolo em si. Mas o resultado vale a pena. Para quem gosta de chocolate então é uma maravilha.

Ficam aqui umas imagens do bolinho antes e depois de levar a calda por cima. E digo já... estava uma delícia.

Feliz da Vida...


É assim mesmo que me sinto... FELIZ da vida!

Confesso que ontem acordei bastante em baixo, decepcionada, com uma enorme vontade de chorar... e acima de tudo preocupada comigo mesma. Já não entendia o meu própria corpo! Seria isso normal? E quando falei nisso ao meu marido e lhe disse que talvez houvesse alguma coisa de errado comigo ele simplesmente me disse "Eu te amo!" (Tenho que admitir que é maravilhoso sabermos que podemos contar com quem está ao nosso lado para o que der e vier).

E qual não foi o meu espanto quando, quase a sair de casa para ir trabalhar, fui à casa de banho e vi que afinal eu continuo a ser uma mulher normal... igual a todas as outras. Só espero que agora normalize tudo e que não haja mais sustos pela frente. Acho que vou até desmarcar a consulta que tinha marcado para dia 6 de Maio. Afinal de contas está tudo bem comigo.

(Nunca gostei muito dos dias chatos em que a D. Menstruação me visita, mas desta vez fiquei meeeesmo feliz em recebê-la cá em casa- até parece que me saiu um peso de cima).

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Bons sonhos...


Hoje sinto-me especialmente cansada... cheia de sono, a cabeça bem pesada, com uma pressão enorme lá dentro. Acho que ando a dormir pouco (é o que faz passar horas aqui a navegar por este mundo gigantesco de informação a tentar arranjar respostas!). Ainda por cima acabei agora de ler uma notícia sobre o problema que é recuperar o sono em falta. Aqui fica um pequeno excerto:

"Estudos demonstram que, a curto prazo, essa deprivação leva a uma piora na visão, problemas na hora de dirigir e dificuldades para se lembrar das coisas. Os efeitos a longo-prazo incluem obesidade, resistência à insulina e doenças cardíacas. E a maioria dos americanos sofre de deprivação crônica de sono."

Acho que tenho mesmo que rever meus horários e começar a cuidar um pouquinho mais de mim.

Deixo-vos aqui o link, caso queiram ler o artigo todo

E já agora... Bons Sonhos!

Que tempinho...

Já diz o provérbio "Em Abril, águas mil".

E eu a pensar que este ano a chuva toda se tinha antecipado para Março, com tudo o que choveu no mês passado... Mas em Abril é sagrado, tem mesmo que haver mau tempo, não é?! O sol lá vai aparecendo de vez em quando, mas durante a noite ninguém pára a chuva! Pior que isso só mesmo a trovoada, que não 4ª-feira parecia estar bem por cima do meu local de trabalho, só para me encher de medo.

Se há coisa que eu respeito é a Natureza e toda a força que ela tem... e é uma pena a maioria das pessoas hoje em dia ainda ser tão inconsciente no que diz respeito a cuidar da Natureza.

Existe coisa mais bonita?

Manhouce - São Pedro do Sul

(Fotos tiradas no Domingo - muito bem passado por sinal)

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Cada vez entendo menos...

Nem a certeza de ser uma "mulher não grávida" me conseguiu tranquilizar completamente. Bem que eu me tento esquecer do assunto, mas é quase impossível.

Estava hoje de volta da minha cozinha, com a cabeça desocupada, quando quase entrei em pânico ao pensar que ainda não apareceu a maldita menstruação (já começo a ter uma certa saudade dela). Liguei na hora para o Centro de Saúde e consegui uma consulta para hoje mesmo. Mas... pelo público sabemos como as coisas são. Cheguei meia hora mais cedo que o previsto e mesmo assim já lá tinha umas quatro ou cinco senhoras à minha frente. Resumindo e concluindo, por volta das 15h vim-me embora, sem conseguir falar com a Drª por ter que ir trabalhar às 16h! E o melhor de tudo é que a Drª para a semana está de férias, então só tenho consulta dia 6 de Maio!

Nunca gostei desses dias chatos do mês, mas é frustrante mesmo não sabermos o que se passa com nosso corpo! Cada vez o entendo menos...

terça-feira, 20 de abril de 2010

Dúvida esclarecida...

Pois é... o resultado do exame foi NEGATIVO! Posso dizer que segundo a análise que fiz sou oficialmente uma "Mulher não grávida".

Estou até um pouco admirada comigo mesma. Eu adorava que o resultado tivesse sido outro, mas parece que bem lá no fundo eu sabia que não seria desta. Fiquei triste, mas nem por isso me sinto desiludida. Só espero que a D. Menstruação dê o ar da sua graça o mais rapidamente possível, caso contrário vou ter que ver o que se passa e não me apetecia nada ter que ir outra vez ao médico.

Bem, agora que já sei que sou uma "não grávida" posso relaxar e esperar que as coisas voltem ao normal para poder treinar muuuito.

Maldita ansiedade...

Estou que nem posso.

Meu coração está disparado desde que acordei, mas agora depois do almoço piorou (deve ser com o aproximar da hora H). Há pouco deu-me uma enorme vontade, nem sei se era de rir ou de chorar... que grande confusão. E já fui tomada por uma horrível dor de cabeça, para ajudar à festa.

Maldita ansiedade que só me atrapalha. Meu marido bem diz que quem morre de véspera é peru de Natal. E é assim mesmo que me sinto, como um verdadeiro peruzinho de Natal.Devíamos ter um botão para às vezes podermos desligar o cérebro, para ele não pensar em coisas que não deve.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

E a incerteza continua...

Já passaram mais 4 dias e até agora nada... nem sinal da D. Menstruação... apenas um misto de sentimentos. Medo, preocupação, nervosismo, ansiedade...

Mas amanhã já tiro as dúvidas. Só de pensar já sinto um friozinho na barriga.

Só espero que não seja cedo demais.

Porque é bom recordar...

Não me importava nada de repetir este dia vezes sem fim. Um dia maravilhoso, cheio de alegria e emoções fortes. O dia em que nossos corações se uniram.

Mesmo fazendo quase 4 anos, está bem vivo na memória.






sábado, 17 de abril de 2010

Que cruel incerteza...

Acabei de estar com uma amiga minha (amiga esta que vejo todos os Sábados no trabalho)... uma linda grávida de 4 meses... já se nota a barriguinha a crescer. Estás linda amiga.

E eu aqui nesta dúvida e incerteza cruel! Por muito que eu não queira... dói.


sexta-feira, 16 de abril de 2010

Ao menos isso...

Ao menos parece que consegui curar a minha constipação sem recorrer às "drogas".

Menos mal... não queria nada ter que me intoxicar agora. Devem ter sido as bombas de vitamina C que tomei que surtiram efeito... pelo menos sinto-me bem melhor.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Parece que não foi desta...

Mesmo sabendo que as hipóteses de estar realmente grávida eram mínimas este mês (uma vez que reiniciámos os treinos a sério há pouco mais de uma semana) eu estava mesmo com esperança...

Até que consegui dormir bem a última noite (para minha surpresa, pois da última vez que fiz um teste destes em casa não dormi nada a noite toda) e às 7h da manhã quando acordei lá fui eu para a casa de banho. Mas a risquinha teimou em não aparecer... até agora a risca de controle continua lá sozinha e solitária...

Só espero que a D. Menstruação não tarde a aparecer, pois este ciclo já está a ser grande de mais para o meu gosto (faz hoje 42 dias!). Será que este atraso se deve à minha imaginação fértil?

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Cheia de coragem

Hoje à tarde, com o coração a 1000 à hora, enchi-me de coragem e lá fui eu à Farmácia comprar um teste.

Estou aqui em pulgas (ainda mais porque é segredo e ninguém sabe :D). Na Farmácia disseram-me que não precisava de esperar para o fazer de manhã, que o podia fazer na hora se quisesse, mas se aguentei até agora acho que o faço mesmo amanhã de manhã. Será medo?

O maridão está ali a jogar Play Station e nem imagina o que se passa na minha cabeça :D

Desejem-me sorte.

Podia estar melhor

Hoje quando acordei tinha a sensação de ter sido atropelada por um camião. Doía-me tudo!

O leite com mel que tomei ontem ajudou um pouco a amenizar a dor de garganta, mas meu corpo continua dorido. Daqui a pouco tomo outro leite e amanhã de manhã mais um sumo natural de laranja e acerola... vitamina C aos potes a ver se me curo sem medicamentos.


terça-feira, 13 de abril de 2010

Era só o que me faltava!

Já não chega a ansiedade toda que tenho sentido estes dias... agora começou-me também a doer a garganta. E pior que isso é que me dói um pouco o corpo e a nuca (o que normalmente é sinal de uma gripezinha - e eu a pensar que este inverno escapava).

Não queria nada tomar medicamentos, muito menos a esta altura do campeonato. Só espero que o leite com mel que vou tomar antes de me deitar resolva o meu problema.


De volta à leitura...

Agora que já voltámos oficialmente aos treinos e que vivo aqui numa incerteza danada de há uns dias para cá (ai se a ansiedade matasse!) já fui outra vez buscar os meus livrinhos...


Comprado por mim em Agosto 2009

Emprestado pela minha cunhada


Imagens retiradas da Internet


Na verdade eu queria comprar mais uns quantos... vi uns tão giros que relatam o que acontece em cada semana de gravidez. Se eu pudesse comprava-os todos, mas por enquanto vou ter que me contentar com estes.

domingo, 11 de abril de 2010

Que raio de incompreensão!

Às vezes penso que os homens vivem mesmo num mundo à parte, onde só a razão funciona...

Será assim tão difícil compreender os medos e anseios de uma mulher?

Em vez disso só ouço que tenho a mania das doenças e que quando não existe nada eu tenho que inventar... só porque me comecei a cuidar outra vez para uma possível gravidez... se posso evitar certas coisas, porque não o hei-de fazer? Estarei assim tão errada?

Começo a pensar que é melhor não partilhar os meus pensamentos...

Imagem retirada da Internet

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Temos mesmo que "sobreviver"...

E aqui vai mais um pouquinho da minha história...

Algum tempo depois de eu ter perdido a minha sementinha (pois porque de início eu não queria nem pensar no que tinha acontecido), comecei a pesquisar na net sobre o assunto. Lia (e leio) tudo o que me aparecia à frente, devorava fóruns e blogs de pessoas a quem tinha acontecido o mesmo... De certa forma isso ajudou-me a ultrapassar essa fase menos boa e a entender que não estou sozinha no mundo e que existem muitas mais pessoas como eu, que muitas vezes sofrem caladas e, pior que isso, sozinhas...

É realmente maravilhoso sentirmo-nos entendidas e sabermos que as pessoas sabem mesmo do que estamos a falar por já terem passado pelo mesmo ou por algo semelhante, sabendo no fundo que o que nos dizem não são apenas palavras vazias...

Ontem decidi registar-me num desses fóruns que encontrei e realmente aquilo mais parece uma família gigante, com imensas pessoas para nos apoiarem... Há pouco encontrei lá um artigo bem interessante sobre como "sobreviver" a um aborto e queria partilhá-lo aqui (quem sabe o meu blog um dia destes também não ajuda alguém a ultrapassar uma fase má como a que eu vivi...)

Aqui vai o link:

Pensar de mais faz mal!

Agora que a nova temporada de treinos está oficialmente aberta, começam a surgir novos medos e incertezas...

Será normal sentir tanta dúvida quando se pensa em ter o 1º filho? Pelos vistos parece que sim... ou estou enganada?

Mas o que mais me preocupa é o medo que sinto de que tudo se vai repetir e que de novo não vou conseguir levar a próxima gravidez até ao fim... Eu bem tento ser optimista, mas esse pensamento teima em permanecer na minha cabecinha, que às vezes só pensa o que não deve. Bem que eu me tento abstrair, mas este pensamento sufoca. Desde que vim do Centro de Saúde ontem, com o OK da médica, que me sinto um pouco ansiosa. Mas talvez seja só por estar à espera que me venha a menstruação, que já no mês passado veio beeem tarde só para me deixar mais aflita ainda (espero bem que seja isso).

Bom, ao menos já olho para as grávidas de modo diferente do que fazia quando perdi a minha sementinha. Não gosto nem de falar nisso, mas eu sentia uma espécie de inveja quando via outras meninas barrigudas e principalmente quando uma amiga minha me disse que tinha conseguido engravidar. Sinto-me até mal por ter pensado assim, mas para além da alegria que senti de ela estar tão feliz pensei "porque não foi assim comigo?"

E o pior de tudo é que ainda hoje, passados mais de 3 meses, dou por vezes comigo a pensar que já deveria de estar de não sei quantas semanas, se tudo tivesse corrido bem. E então bate uma tristeza cá dentro, algo inexplicável, algo que as pessoas que estão ao meu redor nem notam, só se eu falar do assunto...

Mas prefiro então vir aqui desabafar e receber algum apoio de pessoas que talvez já tenham passado o mesmo ou que pelo menos têm o mesmo sonho que eu e de alguma forma me entendem melhor...

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Luz verde...

Depois de 3 meses à espera foi-nos dada Luz Verde hoje...

Fui de manhã ao Centro de Saúde mostrar as análises e exames que a Drª me pediu no mês passado para repetir (para ver se já estou totalmente recuperada depois do aborto) e ela disse-me que está tudo perfeito comigo.

Estou pronta para uma nova tentativa. Só espero sinceramente que desta vez corra tudo bem, pois já me chegou o que aconteceu e nem sei se realmente conseguiria passar por tudo outra vez...


Estou muuuito feliz (se bem que eu já desconfiava que ela me ia dizer que estava tudo bem pois já tinha dado uma espreitadela aos exames e análises, mas nunca se sabe não é... ainda mais sendo eu uma leiga no campo da medicina...). No entanto, assim que saí do Centro de Saúde fui invadida por uma sensação estranha, inexplicável. Parece quase impossível que o pior já tenha passado e que podemos tentar tudo de novo, quase como se nada de mais tivesse acontecido, como se tudo tivesse sido apenas um pesadelo, do qual acordámos agora, e o qual queremos apenas esquecer... Será isso normal?

Uma tentativa falhada...

Finalmente criei coragem para expor aquilo que me tem vindo a atormentar há uns meses... a tentativa falhada de uma gravidez...

Já há algum tempo que eu andava a pensar em ter filhos, na altura ideal (se bem que sou apologista de que não existe altura ideal para isso) e tudo o que envolve a gravidez. No entanto, como queríamos ter uma condição melhor decidimos primeiro dedicar-nos à construção da nossa casa, o que conseguimos terminar no final do ano passado (fizemos a mudança uns dias antes do Natal).

Em Junho/09 quando fui a uma consulta de Planeamento decidi pedir já todos os exames necessário para ver se estava tudo bem comigo ou se haveria algum problema em engravidar. A médica mandou-me fazer um batalhão de exames e análises e constatou que estava tudo bem. Só teria que deixar de tomar a pílula e aguardar uns 2 ou 3 meses para começar então a tentar.

E assim foi. A partir de meados de Setembro lá estávamos nós a treinar, ainda cheios de dúvidas e incertezas. E foi no dia 17 de Dezembro (com um atraso de mais de 10 dias - como sou muito irregular decidi esperar esse tempo todo) que andei loucamente de um lado para o outro para conseguir fazer um teste de gravidez no laboratório de análises. E ao início da tarde lá estava eu com a confirmação da gravidez na mão... Uma vez que eu só iria voltar para casa à noite, depois do trabalho, dei a boa nova ao meu marido por telefone, o qual ficou literalmente sem palavras.

Inicialmente tínhamos decidido dar a notícia aos nossos pais durante o jantar de Natal, que seria cá em casa. No entanto, não coubemos em nós de tanta felicidade e em poucos dias já tínhamos contado às pessoas mais próximas que eu estava grávida.

Ainda hoje acho tudo muito estranho. É difícil conseguir explicar, mas parece que tudo não passou de um sonho... talvez pelo facto de tudo ter acabado tão depressa, o que nem nos deu hipótese sequer de nos habituarmos à ideia de que realmente íamos ser "papas".

Infelizmente, no espaço de uma semana, toda essa nossa alegria acabou de um momento para o outro. Mal nos habituámos à ideia... e já no dia 23 (dia do meu aniversário) a meio da limpeza da casa (eu andava a limpar tudo para receber as visitas no dia a seguir) comecei a ter um corrimento um pouco cor-de-rosa. Na altura com o susto deitei-me e fiquei assim bem quietinha, à espera que passasse. Inicialmente até que melhorou e eu estava mesmo confiante que não era nada (já tinha lido tantos casos em que isso acontecia para depois verem que afinal estava tudo bem) mas à noite, durante o jantar com os meus pais e uns amigos nossos senti um corrimento maior. Fui logo à casa de banho e nem queria acreditar quando vi sangue vivo.

Fomos "a correr" para o hospital e lá nem estive muito tempo à espera para ser atendida, mas infelizmente o médico não era dos melhores, pelo menos no que diz respeito a simpatia e sensibilidade para com os pacientes...depois de me fazer uma ecografia (na qual eu consegui ver um saquinho minúsculo) e de me dizer umas parvoíces (que eu até prefiro esquecer) lá me disse todo arrogante que eu estava com uma ameaça de aborto e que devia repousar e voltar lá passado uma semana, ou antes caso a hemorragia piorasse. Por incrível que pareça, eu saí de lá bem mais tranquila e confiante de que tudo não passaria de um susto e talvez um aviso para eu acalmar um pouco e "correr" menos... mas infelizmente não ficámos por aqui.

Durante a noite acordei muitas vezes devido a dores fortes e de cada vez que eu ia à casa de banho voltava para a cama a chorar por ver que a hemorragia não tinha acalmado, mas sim piorado bastante. De manhã, bem cedinho decidimos ir de novo à urgência. Antes de sairmos, quando estava na casa de banho o inevitável aconteceu. Ali mesmo o meu corpo expulsou aquela coisinha que um dia viria a ser o nosso bebe (nem gosto de recordar a imagem, a qual infelizmente teima em não sair da minha cabeça).

Mesmo sabendo que já não havia nada a fazer, fui ao hospital para ser examinada (cheia de medo de lá estar o mesmo médico). Felizmente era outra médica que lá estava, a qual confirmou que eu tinha sofrido um aborto espontâneo - até esta altura eu estava bastante calma, mas quando ela me disse isso durante a ecografia, as lágrimas começaram-me a escorrer pela cara abaixo e eu ali sem saber o que pensar da vida. Depois de me voltar a vestir a Drª teve uma conversa comigo (o que me acalmou bastante) e até hoje recordo várias coisas que ela me disse, incluíndo uma comparação bem diferente que ela fez (disse que nós somos como as galinhas - elas nem sempre conseguem chocar os ovos todos, porque alguns não são viáveis e o mesmo acontece connosco, mas nós temos a infelicidade de só pode"chocar" um de cada vez e por vezes calha de ser o "ovo" menos bom). A conversa com ela animou-me bastante e mesmo havendo uma ferida aberta na minha alma, tentei passar os dias festivos da melhor forma possível, não transparecendo para fora aquilo que realmente se estava a passar dentro de mim.

Até hoje não sei se fiz bem ou se fiz mal, se devia ter chorado mais ou se me devia ter isolado e encarando isto tudo de forma diferente. Só sei que esta foi a forma que consegui arranjar para seguir em frente, sem me deixar abalar de mais e sem esquecer tudo o que está à minha volta. Talvez este comportamento possa ter parecido insensível da minha parte, mas foi a maneira que arranjei de fazer tudo parecer menos triste e de seguir com a minha vida em frente, pelo menos no que diz respeito à dor física, pois a psicológica é bem mais difícil de ultrapassar e não sei até que ponto já estará curada.

De qualquer forma, mesmo não tendo esquecido o que aconteceu (e nem penso que algum dia consiga esquecer), não quero fazer disto o centro da minha vida. Quero seguir em frente, e continuar a lutar pelo nosso sonho, na esperança de não voltar a viver um Natal como o que passou e que daqui para a frente este sonho seja cada vez mais querido por nós dois.

Desejo muita força e esperança a todas as pessoas que já passaram pelo mesmo e só espero que não desistam nunca, pois se os obstáculos são postos no nosso caminho, é para serem ultrapassados.

PS: desculpem o tamanho do texto, mas mesmo assim parece que ficou tanta coisa por dizer... quem sabe eu não vá completando estas minha ideias mais para a frente...

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Soube a pouco...

E as férias estão-se quase a acabar.

Até hoje estou para saber porque é que o tempo corre tanto nas alturas que menos queremos que isso aconteça.

Amanhã já voltamos para casa... mas ainda bem que só volto a trabalhar na 2ª. Ainda vou poder fazer qualquer coisinha por casa mesmo (se bem que vontade não tenho muita).

E 5ª vou à médica... vamos lá ver se ela nos dá luz verde para voltarmos a tentar aquilo que tanto queremos...será?

sábado, 3 de abril de 2010

Como é bom...

Não há nada melhor do que uns dias de férias (no meu caso 2 semanas e uma delas já passou a voar)...

É simplesmente maravilhoso não ter hora para acordar, não ter compromissos, ir levando a vida e depois logo se vê o que se faz a seguir...

Por mim podia ser assim 11 meses no ano e 1 para trabalhar...

Ou para não ser tão radical continuo a defender que uma semana devia de ter 5 dias de descanso e 2 de trabalho, acho que seria a combinação perfeita.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Que vontade...

Às vezes só me apetece desaparecer...

Estar sózinha numa ilha deserta com uma boa pilha de livros para ler... e que ninguem me chateie!

Será que sou eu que às vezes ando sensível de mais, ou serão as pessoas à minha volta que dão o Tilt de vez em quando?

Por vezes não entendo muito bem a razão de certas coisas que acontecem...

Serei a única?


Imagem retirada da Internet