segunda-feira, 29 de julho de 2013

Santa ignorância!

Eu bem clicava no botãozinho que diz "HTML" e claro que não conseguia formatar nada...

Há pouco lembrei-me de clicar no outro, que diz "Redigir" e eis que aparece tudo outra vez, bonitinho para eu poder mexer no texto!

Quando não se sabe é assim...

Andava eu aqui a queixar-me...

E afinal era o dentinho (ou dentão) de cima que nos andava a estragar as noites.

Logo no sábado em que me queixei das más noites o Martim dormiu que nem um anjinho, a noite toda como tanto gosto. E no Domingo lá o vi e senti a picar!

Diz o pai que acha já ter visto um brilhozinho no sábado e é certo que nessa noite já não houve queixas, por isso presumo que já tivesse saído no sábado mesmo.

Esta semana que passou foi santa, sem queixas nocturnas. Mas esta noite já tive que o acalmar outra vez! Agora é o outro de cima que anda a chatear, pelo menos a gengiva já anda beeem inchada!

E ainda há médicos que dizem que os dentes a nascer não incomodam de noite, que se os bebés choram é por outra razão qualquer... não devem ter filhos com certeza!

sábado, 20 de julho de 2013

Do sono... ou da falta dele!

Esta semana tem sido horrível.

Pior ainda desde o dia em que o Martim foi apanhar a vacina. Gemeu a noite toda com algum choro pelo meio, mas nem foi das piores noites, porque lá ia adormecendo sozinho. Daí para cá tem sido o verdadeiro martírio!

Logo ele, que dormia tão bem a noite toda. Esta noite devo-me ter levantdo umas 6 vezes para o voltar a adormecer ao colo ou na caminha dele, mas a dar-lhe pancadinhas nas costas, ou de preferência (para ele, que até se consola) deitado ao meu colo em cima da almofada de amamentação!

E quem perde a noite toda sou eu, porque ele lá vai dormindo de uma maneira ou de outra, eu é que tenho que ter cuidado para ele não me cair dos braços!

Às vezes parece que voltámos aos primeiros meses, mas agora com uma carga muito maior de cansaço em cima! E quando decido fazer a sesta da manhã junto com ele, há-de alguém telefonar lá para casa para me chatear! Ou sorte...

Se tiverem bons truques para eles voltarem a adormecer sozinhos, sem termos que os embalar de novo, revelem-nos aqui, ok? Pode ser que assim eu comece a conseguir combater esta dor de cabeça constante... (e ele que dormia tão bem!)

Vacinas again!

Desta vez foi só uma, a Prevenar 13! Mas parece que custou mais do que as outras duas do mês passado.

O menino Martim fez tanta força no braço que a enfermeira quase não conseguiu injectar o líquido! Ficou admirada com a força toda que ele tem (ah pois, não é por parecer magrinho e frágil que não tem força! Tem sim, e muita... os meus braços beliscados que o digam!)

Resumindo: houve choradeira valente, um bracinho super vermelho que me fez voltar lá a perguntar se era normal e mais uma vez choradeira só de olhar para a cara da enfermeira e no fim um bracinho todo pisado.

Bem digo eu que se pudesse tomava eu as vacinas todinhas!

Pancadas!

E porque é que agora não consigo escrever em HTML e formatar o texto? Alguem me sabe ajudar? Será defeito aqui do computador? (Se calhar ainda deveria tentar noutro)

Eu bem que faço espaços bonitinhos entre as coisas, mas depois fica tudo encavalitado, um bloco de letras que não atrai ninguem...

sábado, 13 de julho de 2013

O tempo passa...

E já passou quase um mês desde o primeiro aniversário!

Por cá o pequeno Martim já adora andar agarrado às nossas mãos. Quando consegue já as procura, para segurar nelas e nos guiar pela casa. Também adora andar de um lado para o outro agarrado ao sofá ou então à volta da mesa de centro. E que bem que ele vira as esquinas!

Também já não se deixar cair de rabo no chão quando se quer sentar ou gatinhar. Baixa-se com muito cuidado, apoia um joelho, depois outro e lá vai ele. Já quase não se arrasta, gatinha como um homem grande. E assim vai conseguindo chegar a todo o lado.

Dentinhos continua com os mesmos dois e a gengiva de cima inchada há mais de uma semana e com uma pelezinha branca. Deve ser rija a malvada!

Adora brincar lá fora na relva e o novo passatempo dele é encaixar peças umas dentro das outras. Consegue estar tempos infinitos nesta brincadeira. Então se eu estiver sempre a desencaixar tudo torna-se uma brincadeira sem fim.

Continua a gostar de empurrar tudo pelo chão à sua frente. De vez em quando lá dou com ele a empurrar a casinha de madeira, ora com coisas lá dentro ora com o telhado em cima. E assim vão passando os dias... cheios de novas conquistas, com muita brincadeira à mistura e com cada vez mais liberdade pela casa.